segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Consumo de noni e seus derivados pode causar hepatite aguda

No início, a fruta é verde-clara.
depois, torna-se amarela
e, por fim,
branca.
(foto: Wikipedia) 
Popularmente, 
acredita-se que o noni 
é uma fruta que pode ajudar muito
no combate a certas doenças. 
No entanto, 
cientistas dizem que pode ocorrer
exatamente o contrário. 

"Morinda citrofilia" é o nome científico de uma árvore originária do sudeste da Ásia. Popularmente é conhecida como "noni", nome que é dado também à fruta gerado por ela. Cresce em florestas tropicais e em terrenos rochosos e arenosos e resiste em solos salinos e a longos períodos de seca. Cresce a até nove metros de altura e suas folhas são finas e verdes-claras. Gera frutas o ano inteiro. Cada fruta contém muitas sementes externas (veja a foto) e tem um cheiro desagradável muito forte, sendo por isto também conhecida como "fruta de queijo" ou "fruta de vômito". 
A fruta é oval e tem cerca de sete centímetros de comprimento. Quando surge, é verde-clara, torna-se amarela com o passar do tempo e, finalmente, branca, quando é colhida. Apesar do cheiro extremamente desagradável, é consumida crua ou cozida. Suas sementes também são ingeridas assadas.  
Em muitos países, muitas pessoas atribuem ao noni (tanto a árvore como a fruta) vários efeitos medicinais e terapêuticos. Na China, no Japão e no Taiti as frutas, as folhas, as flores e partes do tronco da árvore são utilizados para tratamento de febre, de problemas nos olhos e na pele, gengivite, constipação, dores no estômago e dificuldades respiratórias. No Brasil, a fruta é usada como ingrediente na produção de xampus e sucos. 
Os fabricantes de derivados do noni dizem que a fruta contém altos índices de xeronina, um princípio biológico ativo descoberto pelo norte americano Ralphe Heinicke. No entanto, os cientistas ainda não confirmaram os supostos benefícios da  fruta ou de qualquer parte da árvore para seres humanos. Ao que parece, até hoje tudo não passa de crenças, sensacionalismo e meras suposições, porque a estrutura química da xeronina ainda é desconhecida. Em 2004, a FDA (Food and Drug Administration - "Administração de Drogas e Alimentos", dos Estados Unidos) informou a fabricantes americanos, através de cartas, que os sucos de noni não continha evidência alguma que confirmasse os benefícios alegados por eles. 
Em 2005, foram registrados casos de hepatite aguda em várias pessoas que haviam consumido produtos derivados da fruta. Isto fez a Autoridade Européia para a Segurança Alimentar a tomar providências. Na Alemanha, em 2006, a Agência Nacional para a Evolução de Riscos fez o mesmo. 
No Brasil, o histórico de consumo de noni e seus derivados é bem pequeno, mas a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) não se deve ingerir nem usar a fruta ou qualquer pare da árvore, nem seus derivados (sucos, etc.) para o que quer que seja. Até mesmo a comercialização está proibida até que as condições de segurança para o consumo sejam cientificamente comprovadas. 

2 comentários:

Obrigado por prestigiar este blog. Seus comentários sempre serão muito importantes.